Artigo, Geral, Política

Huxley, mais atual do que nunca, em Admirável Mundo Novo

/ /

Ontem assisti ao filme Admirável Mundo Novo. Só tinha lido o livro, do Aldous Huxley, mais atual do que nunca. Ele mostra algo que poderíamos chamar de uma Nova Ordem Mundial, onde as palavras “pai” e “mãe” são palavrões, as crianças são criadas em laboratórios e família é algo que não existe, visto que “todo mundo é de todo mundo e ninguém é de ninguém”. Em uma realidade extremamente controlada, onde as pessoas estão divididas em castas (sempre tem a elite da elite que tem acesso a tudo) e constantemente sendo condicionadas por frases de efeito e conceitos criados pelo “controlador”, a “promiscuidade é um dever de todo cidadão” e o amor “um ato egoísta e anti-social”. Claro que existem exageros, mas as analogias são evidentes.

Para quem lê e se informa para além do mundo das fake news, está muito claro que estamos lutando contra algo que cresceu sorrateiramente, em escala global e que nos quer submissos. Uma hegemonia cultural destrutiva, antiliberdade. Autoritária. Disfarçada de justiça social e embalada em um discursinho de “amiga dos pobres” e da “diversidade”. A ditadura se instala na mente, com o politicamente correto e com as agendas supostamente progressistas. Mas na verdade é uma agenda de submissão e controle mental. Agenda emburrecedora. A igualdade pregada não é de oportunidades, é de pensamento e de sexo. O fascismo é evidente. A intolerância e o ódio são abertamente pregados aos que não pensam igual ao que agenda do marxismo cultural determina.

Esta hegemonia tem que ser duramente contraposta, todos os dias. Desconstruída ao mostrarmos sua verdadeira face autoritária e coletivista. Aqui, neste site, vamos continuar combatendo com idéias e argumentos, mas precisamos de mais cérebros aliados, mais gente que se disponha a falar e mostrar o que está acontecendo.

Existe um outro caminho possível e ele passa sim pelo respeito à todos os indivíduos, respeito às liberdades e escolhas pessoais, ao direito à vida, à integridade física e à propriedade. Isto SEMPRE em primeiro lugar. Depois falamos sobre as outras conquistas. Mas enquanto não tivermos estes primeiros assegurados, e hoje o que mais vemos ameaçadas são a nossa liberdade individual e a nossa vida, não me venham entupir a mente com discussões sobre o sexo dos anjos ou cotas ou justiçamento histórico…o que tem que estar em foco é o necessário embate INDIVÍDUO X ESTADO, REPÚBLICA X POPULISMO. É uma escolha que temos que ter muito clara e ensinar nossos filhos: você quer ser livre pra pensar, empreender e viver ou quer ser um escravo dependente do Estado e da cartilha? Ainda não estamos no ponto sem retorno. Tem cada dia mais gente acordando e não seremos os únicos “selvagens” em um “mundo civilizado pasteurizado”.