CECE debate retomada dos eventos em Porto Alegre

A Comissão de Educação, Cultura, Esporte e Juventude (Cece) da Câmara Municipal de Porto Alegre tratou da retomada dos eventos na Capital, durante reunião virtual nesta terça-feira (6/7). No encontro, coordenado pela presidente, vereadora Fernanda Barth (PRTB), parlamentares, representantes do Executivo Municipal e da área de eventos debateram os diversos prejuízos causados pela pandemia e foi solicitado pela Comissão que a Prefeitura encaminhe ao Governo do Estado o pedido de sensibilização e olhar para as demandas desse setor, visando à ampliação das atividades e à retomada com a segurança necessária e o mais breve possível.

Em sua fala, a presidente da Cece reforçou que considera que o setor de eventos nunca foi o responsável pelo avanço dos índices negativos da pandemia, mas, sim, as diversas festas clandestinas sem controle. “A Comissão está à disposição para ajudar. Estamos numa posição bem mais confortável desde que a pandemia começou. Sabemos que a Prefeitura é sensível ao tema, mas que sozinha não resolve, já que as decisões dos protocolos dependem do Estado. Temos diversos exemplos de locais que estão retomando os eventos, precisamos replicar o que já funciona, pois o mínimo que a gente quer é avançar cada vez mais para que se consiga, até o final do ano, retomar a maior normalidade possível dentro do setor”, destacou Fernanda.

O secretário Extraordinário de Enfrentamento ao Coronavírus, Cesar Sulzbach, apontou que já há uma discussão interna com os demais municípios que integram a região R10 da divisão de áreas do Estado. “Temos os protocolos obrigatórios do Estado, estamos estudando para ampliar dentro do quadro de redução dos números. É importante que se visualize o futuro de todo esse complexo que foi tão prejudicado durante a pandemia. Com o avanço da vacinação, certamente teremos algo diferente nos próximos 30, 60 dias. Sem descuidar o cuidado com as pessoas e o respeito aos protocolos, mas se o evento credenciado atende todas as regras, ele tem sim que ser realizado e, caso na execução haja algum problema, haverá multas ou outras ações”, informou.

O diretor de Turismo da SMDET, Luiz Armando Silva de Oliveira, afirmou que os eventos “são um segmento da economia muito importante, pois são multiplicadores. Não é só o produtor de evento em si, mas toda uma cadeia econômica que tem nos eventos sua fonte de renda. Precisamos ter uma volta urgente, em que exista uma responsabilidade coletiva. A Prefeitura está empenhada em fazer, em liberar esses eventos no maior número possível, dentro dos protocolos e de uma forma responsável”, evidenciou.

Representantes da área, como Opinião Produtora, Capacita e da Feira Ugart foram unânimes ao afirmar que diversas atividades foram retomadas e eles continuam sendo penalizados. Eliana Azeredo, da Capacita, contou que “ontem, fizemos o primeiro evento 100% presencial e foi uma sensação maravilhosa, todo mundo comportado, as pessoas chegaram rapidamente sentaram e só tiraram a máscara quando foi servido algo. Tem como fazer, tem que fazer, a gente fica angustiado. Está na hora de nos deixar trabalhar, as pessoas querem ir e se comportam”, finalizou.

Foto: Martha Izabel/CMPA

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on whatsapp
WhatsApp

Deixe seu comentário

Acompanhe a
Fernanda barth

Receba em primeira mão todas as novidades da
Fernanda Barth no seu e-mail.

  • Faça parde do grupo no WhastApp